Tipos de problemas sexuais

Sofrimento sexual: onde eu me encaixo?

 Maria tem 19 anos e recentemente arranjou um novo namorado com o qual teve sua primeira relação sexual. Ficou bastante frustrada, pois não viu "estrelinhas coloridas" no final de sua transa, tampouco nos encontros seguintes. Maria fica molhada durante o início do jogo sexual, mas se preocupa constantemente em ter que chegar ao fim, em ter sua satisfação sexual plena. E não é falta de estímulo, pois seu parceiro é experiente e muito atencioso com ela. 

O que acontece com Paulo?

 Paulo sente-se envergonhado, mas não consegue controlar a tentação. Quando percebe, já está a caminho da praça pública de uma cidade vizinha. Toma duas a três conduções, caminha por uma hora e chega ao local próximo da noitinha. A praça foi escolhida já há semanas, é de movimento pequeno, jovens estudantes transitando após mais um dia de aula. Paulo aguarda excitado atrás do tronco de uma árvore. Quando percebe garotas vindo na sua direção, começa a se masturbar mais intensamente, expondo seus genitais a elas. Tem seu orgasmo apenas se elas lançarem um olhar para ele, dizerem algum desaforo ou, surpresas, baterem em retirada. Paulo ejacula e imediatamente abandona o local. Uma sensação de deleite e profundo prazer acompanhada de culpa e vergonha. Não retorna jamais ao mesmo lugar, com uma eterna desconfiança de que seja reconhecido mesmo na sua cidade de moradia. Por isso, Paulo não sai muito de casa, isola-se de amigos e fica esperando, ansioso e amedrontado, que essa tenha sido a última vez. Pelo menos, até o impulso voltar.  

João sofre de quê?

 João tem 28 anos e nunca se relacionou sexualmente com ninguém. Sempre teve impressão de ter nascido diferente, como se o tivessem colocado numa armadura, com vestimentas erradas e desejos contrários. João acredita ter sido uma falha da natureza, uma vingança dela contra sua forma de pensar. Entre amigos, prefere ser chamado pelo apelido de Jana e jamais se deixa observar nu, tendo nojo de seus órgãos genitais. Desde cedo, seus pais tentaram fazê-lo jogar bola, mas João preferia brincar de bonecas de papel com as meninas da vizinhança. João sente-se só e infeliz, humilhado e pouco compreendido por todos que o cercam. Tem uma vida falsa.  

Tipos de Transtornos Sexuais: três grandes categorias

 Na linguagem médica, os problemas sexuais são conhecidos como Transtornos Sexuais. Dividem-se em três grandes grupos:

  • As Disfunções Sexuais,
  • As Parafilias,
  • Os Transtornos de Identidade de Gênero.

Disfunção Sexual

 A Disfunção Sexual é um problema que pode afetar o desejo sexual e/ou alterar as respostas psicofisiológicas do corpo frente aos estímulos sexuais, causando sofrimento e insatisfação não só na pessoa, como também no seu par. Maria não consegue chegar ao orgasmo, frustrando-se constantemente. Ela tem Anorgasmia.

Outras Disfunções Sexuais femininas são: Desejo Sexual Hipoativo, Aversão Sexual, Transtorno de Excitação (Frigidez), Dispareunia (dor na relação sexual) e Vaginismo (contração involuntária dos músculos perineais que impedem a penetração).

Nos homens encontramos o Transtorno do Desejo Sexual Hipoativo, a Aversão Sexual, a Disfunção Erétil (Impotência), a Ejaculação Precoce (ou Prematura) e a Anorgasmia.

As disfunções sexuais são frequentes e relativamente fáceis de se tratar com ajuda especializada, principalmente as que acometem as fases de excitação ou de orgasmo

Parafilia

A Parafilia antigamente era chamada de Desvio Sexual ou Perversão. É caracterizada pela presença de fantasias ou vontades sexuais estimulantes e persistentes relacionadas:

  • com objetos não humanos,
  • com humilhação de si mesmo ou de parceiros,
  • com crianças ou pessoas que não estão em consentimento com o ato sexual.

Paulo tem uma Parafilia chamada de Exibicionismo, onde há uma necessidade repetida de se obter prazer expondo-se sexualmente a pessoas estranhas, sem os seus consentimentos.

Outras formas de Parafilia são: o Sadomasoquismo (quando a satisfação erótica advém da prática de maus tratos físicos e/ou morais infligidos ao parceiro sexual e a si mesmo), a Pedofilia (sexo com crianças), o Voyeurismo (espiar pessoas estranhas nuas ou tendo relações sexuais sem serem percebidas), o Fetichismo (quando o prazer consiste em não amar a pessoa, mas a uma parte dela ou um objeto de seu uso), o Frotteurismo e o Fetichismo Transvéstico.

O tratamento básico para esses tipos de problema sexual é a psicoterapia.  

Transtorno de identidade de gênero

 O Transtorno de Identidade de Gênero caracteriza-se pela pessoa acreditar ou querer ser do sexo oposto, tendo um sofrimento e uma estranheza muito grande com seu próprio sexo e com o seu papel social. No exemplo exposto, João tem esse tipo de problema sexual. O tratamento desse transtorno é mais difícil de ser feito. Por vezes, essas pessoas mudam de sexo através de uma série de cirurgias plásticas reconstrutivas. É indispensável que a pessoa procure atendimento psiquiátrico para, através de psicoterapia e apoio, poder enfrentar as dificuldades para assumir uma nova identidade e lidar com possíveis frustrações.  

Depoimentos:

Fale conosco:

* Preenchimento obrigatório

Matérias relacionadas:

  • A sexualidade normal e transtornos sexuais

    O comportamento sexual humano é diversificado e determinado por uma combinação de vários fatores, dentre eles: os relacionamentos do indivíduo com os outros, a cultura na qual ele está inserido e as próprias circunstâncias de vida. Por isso é muito difícil conceituar o que é "normal".
    Saiba mais

  • Impotência: Mito masculino; temor de desempenho

    A impotência (disfunção erétil) só se torna um problema ou uma doença quando ela predomina na vida sexual de um homem, isto é, quando há uma incapacidade persistente ou recorrente (repetida) de manter uma ereção até a conclusão da atividade sexual.
    Saiba mais