O que fazer em uma crise de pânico?

Você está tranquilo, pescando, fazendo o que gosta, então, “do nada” sente medo e mal-estar muito intensos, que chegam ao nível máximo em poucos minutos. Você conclui que, para sentir tudo isso, deve estar acontecendo algo muito grave no seu corpo e, seguindo a lógica da catástrofe, deve estar enfartando, tendo um AVC ou ficando louco.

Você respira rápido, pois sente falta de ar. Está tenso. Contrai todos os músculos. A visão escurece. A boca seca. Você sente amortecimentos nas mãos e, para ajudar, as pessoas ainda te dizem: “se acalme!”.

Instintivamente, seu desejo é fugir dessa situação e você contrai ainda mais seus músculos, o que só faz piorar a sua falta de ar e a percepção de incapacidade em lidar com a situação.

Se você se identificou com essa descrição de crise súbita de medo sem fator desencadeante, é bem provável que tenha experienciado uma crise de pânico!

Ela ocorre porque seu cérebro “ligou” um mecanismo de sobrevivência (adaptado aos primórdios da humanidade, porém pouco funcional para lidar com os reais perigos modernos).

A dica mais importante para esses momentos é: relaxe a musculatura e respire calmamente. A crise vai passar e ninguém nunca morreu de medo.

Depoimentos:

Fale conosco:

* Preenchimento obrigatório

Matérias relacionadas:

  • Doenças mentais

    O Psiquiatra Dr. Ricardo Zimmer, em entrevista ao canal TV Itapuã 10 de Pato Branco (PR), fala sobre as doenças mentais.
    Saiba mais

  • Esquizofrenia

    O Psiquiatra Dr. Ricardo Zimmer, em entrevista ao canal TV Itapuã 10 de Pato Branco (PR), fala sobre a esquizofrenia e seu tratamento.
    Saiba mais