O que a Psiquiatria trata?

A Psiquiatria é uma especialidade médica que trata as alterações disfuncionais do comportamento, pensamento e emoção humana.

A partir do desenvolvimento de novas tecnologias, tornou-se possível observar o funcionamento cerebral de modo nunca antes visto, o que, além de contribuir com quebras de paradigmas (como a neurogênese [recriação de neurônios] e a plasticidade neuronal [condição de se reorganizar e regenerar], gerou outras várias novidades novas e fascinantes.

O profissional do ramo da Psiquiatria é o médico psiquiatra, que possui a condição de diagnosticar alterações disfuncionais ou patologias comportamentais e emocionais, resultando em um diagnóstico que norteia o tratamento. É a partir da observação dos sinais e da descrição dos sintomas, ou seja, aquilo que o paciente sente e relata, que é possível formar um diagnóstico.

A Psiquiatria dispõem de determinados recursos terapêuticos para tratamento: medicações, psicoterapia, eletroconvulsoterapia e estimulação magnética transcraniana, servindo para os mais diversos diagnósticos.

Os quadros clínicos que cabem ao psiquiatra diagnosticar e tratar estão estabelecidos pela Organização Mundial de Saúde (OMS) e no Código Internacional de Doenças (CID), na sua décima edição: 

Demências (Doença de Alzheimer)

Apresenta comprometimento da memória, orientação, compreensão, capacidade de aprendizagem e pensamento. Ocorre geralmente em pessoas idosas.   

Dependências químicas ou transtornos mentais e comportamentais devido ao uso de substâncias psicoativas

Compreende várias situações diferentes: intoxicação aguda, uso nocivo para a saúde, síndrome de dependência e síndrome de abstinência das substâncias. Podemos citar como sendo psicoativos: o álcool, opiáceos (derivados da heroína), canabinóides (maconha), sedativos e hipnóticos (diazepan), cocaína (crack), os alucinógenos (ecstasy), fumo (tabaco) e solventes (thinner). 

Psicoses (Esquizofrenia)

Em geral, apresenta alterações do pensamento (como o delírio, onde acredita-se em coisas que não são reais) e da percepção (ouvir, ver ou sentir coisas que não existem). Com a evolução da doença desenvolve-se empobrecimento do pensamento e das emoções. 

Transtornos de Humor (Depressão, Distimia, Transtorno do Humor Bipolar e a Ciclotimia)

São as alterações dos sentimentos de alegria e tristeza e da energia para viver a vida. Para a Depressão (visão negativa), essas alterações dos sentimentos diante das vivências interfere na forma de pensar ou interpretar o mundo, construindo a tríade de visão negativa ou positiva de si mesmo, do mundo e com relação ao futuro. Já no caso do transtorno de humor bipolar na fase de mania (visão positiva), a gravidade varia em leve, moderada ou grave, com ou sem sintomas psicóticos. Pode ocorrer somente um episódio, por exemplo: Depressão ou Transtorno do humor bipolar. 

Ansiedade (medo ou preocupação)

Pode ser desencadeada devido a uma situação ou objeto específico, por exemplo: medo de lugares públicos, sair de casa, falar em público, andar de avião, elevador, dentre outras. Existem medos que podem surgir sem um fator desencadeante, como nos casos a seguir:

Síndrome do Pânico: ataque imprevisível de medo seguido de vários sintomas no corpo, como tremor, amortecimento, tontura e falta de ar.

Transtorno de Ansiedade Generalizada: preocupação crônica, nervosismo persistente e dificuldade de controlar a preocupação, sempre associado a muitas queixas somáticas como tremor, palpitação, desconforto gástrico, dores, tensão, dentre outros.

Existem também medos que ocorrem em decorrência de uma situação ou objeto específico, como por exemplo:

Fobia específica: é o medo de situações ou objetos que não apresentam nenhum perigo real.

Transtorno de ansiedade social: a pessoa sente desconforto em situações em que se encontra sob a observação de alguém, tendendo a evitar tais situações. Pode ser do tipo generalizada - quando ocorre em várias situações (festas, fila de banco, trabalhar sendo observado, escrever...) ou específica - quando ocorre em uma única situação (falar em público).

Transtorno Obsessivo Compulsivo: é caracterizado por pensamentos ou imagens invasivas das mais variadas (conteúdos de contaminação ou limpeza, agressão, sexuais, blasfêmia e outros). São seguidos por compulsões na tentativa de neutralizar essas ideias ou imagens por meio de comportamentos específicos, como limpeza, rituais, organização, reza, dentre outras.

Agorafobia: é o medo de ficar desprotegido ou desamparado. A pessoa evita circunstâncias em que possa sentir-se desta forma apresentando determinados comportamentos, como, por exemplo: medo de deixar o domicílio, multidões, lojas, viagens, ônibus, avião e outras situações semelhantes.

Depoimentos:

Fale conosco:

* Preenchimento obrigatório
Warning: mt_rand(): max(-1) is smaller than min(0) in D:\HTTP\ricardozimmer\web\materias-detalhe.php on line 120

Matérias relacionadas: