Depressão: a dor da alma!

Você sabe quando a tristeza se torna depressão? Essa resposta não é tão simples, pois pode existir depressão sem tristeza.

O desânimo também pode caracterizar a depressão, desde que seja acompanhado de outros sintomas, como: sentimento de culpa, baixa autoestima, sono não reparador, dificuldade em pensar e raciocinar, piora na atenção e memória. Na depressão, a vontade e a energia diminuem e a capacidade de sentir satisfação pode deixar de existir.

A depressão pode ter vários níveis de intensidade: de leve a grave, além disso, pode ser um episódio único ou recorrente.

Na depressão, ocorre uma alteração no funcionamento do cérebro: algumas regiões são desligadas e outras superativadas. Em consequência disso, ocorrem várias mudanças nas emoções, formas de pensar (a pessoa passa a focar no negativo) e autoestima, o corpo fica mais sensível à dor e aos desconfortos.

Os tratamentos para essa doença, em geral, apresentam uma boa resposta de melhora dos sintomas. Os procedimentos mais comuns são o uso de medicamento e psicoterapia, que deve ajudar a pessoas a ter uma forma mais flexível e ajustada de interpretar a realidade e valorizar menos as emoções negativas.

Existem casos em que o paciente não tolera os efeitos colaterais dos remédios ou não tem resposta de melhora com eles; já outros não têm perfil para a psicoterapia. Nesses casos, a Estimulação Magnética Transcraniana ou a Eletroconvulsoterapia podem ser as opções de tratamento para a depressão.

Depoimentos:

Fale conosco:

* Preenchimento obrigatório

Matérias relacionadas: